Modernize sua gestão com os cartões
Brasilcard

Você já ouviu falar de batata yakon?

22 Out 2018 08h01 - atualizado em 22/10/2018 09h10
Você já ouviu falar de batata yakon?

A batata yacon é uma raiz tuberosa que tem origem na região Andina. Sua produção no Brasil começou em 1994 e, atualmente, é mais abundante no interior de São Paulo, onde se adaptou bem ao clima, altitude e tipo de solo.

A aparência pode ser comparada à batata doce, mas tem gosto doce e polpa crocante, como uma pera. Por isso, é bastante consumida na forma in natura, como se fosse uma fruta mesmo

Como tem um elevado conteúdo de água (83% a 90% do peso fresco), tem baixas calorias, o que torna a batata yakon uma queridinha de quem está de olho no peso.

A composição nutricional faz a diferença!

Diferente da maioria de tubérculos e raízes, que armazenam carboidratos na forma de amido, a batata yacon possui carboidratos na forma de frutooligossacarídeos (FOS).

Os FOS são açúcares que não podem ser digeridos pelo organismo humano. Mas isso não é uma má notícia, ao contrário. Por conta disso, os FOS “alimentam” as boas bactérias do intestino, gerando efeitos favoráveis à saúde como alívio da constipação intestinal, aumento na absorção de minerais, fortalecimento do sistema imunológico e redução do risco de desenvolvimento de câncer de cólon.

Por conta do seu efeito hipoglicemiante (que “baixa” o açúcar no sangue), a batata yakon também é bastante consumida por portadores de diabetes. Uma das possíveis explicações para essa ação é o fato de os FOS se transformarem em uma espécie de gel no intestino, retardando a absorção do açúcar e, assim, mantendo a glicemia controlada.

Como a batata yakon ainda não faz parte do hábito alimentar do brasileiro, vale a pena saber que é possível atingir benefícios semelhantes com outros alimentos, como beterraba, banana, alho, cebola, trigo e tomate, que também ricos em FOS.

Fonte: Ministério da Saúde, 2018




Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/



O que é uma dieta vegetariana?

15 Out 2018 08h07 - atualizado em 15/10/2018 08h57
O que é uma dieta vegetariana?

O número de adeptos da alimentação vegetariana é crescente em todo o mundo. Muitos são os motivos que levam alguém a aderir ao vegetarianismo, como preocupações com a saúde, meio ambiente, ética, economia e religião, ou ainda por não gostar do sabor dos produtos de origem animal. Sejam quais forem os motivos, indivíduos vegetarianos, em sua maioria, apresentam um estilo de vida saudável, praticam atividade física regularmente e frequentemente não fazem uso de bebidas alcoólicas e tabaco, o que é bastante favorável à saúde.

O que entra no cardápio

O vegetarianismo caracteriza-se pela exclusão de carnes e derivados da alimentação. Existem, ainda, os vegetarianos estritos que excluem também os ovos, leites e derivados. Mas a questão principal é: a dieta vegetariana fornece todos os nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo? A resposta é sim, pois a dieta vegetariana não apenas exclui os produtos cárneos, mas também os substitui por cereais (em grande parte integrais), leguminosas, oleaginosas, frutas e hortaliças que, quando consumidos em combinações adequadas, atingem as recomendações para indivíduos saudáveis em todos os ciclos da vida. Essa constatação é feita, principalmente, se continuarem a consumir ovos, leites e derivados.

Porém, atenção especial deve ser dada para as vitaminas D e B12, encontradas em alimentos de origem animal. Alguns vegetarianos, principalmente os estritos, podem ter deficiência desses nutrientes e, por isso, devem controlar regularmente os níveis sanguíneos dessas vitaminas e fazer acompanhamento com médicos e nutricionistas.

Existem vantagens e desvantagens

Estudos têm demonstrado que os vegetarianos apresentam menor risco de desenvolver doenças como obesidade, diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e certos tipos de cânceres, principalmente de intestino e reto. Isso se deve ao elevado conteúdo de fibras, vitaminas, minerais e gorduras insaturadas presentes nos vegetais, além do estilo mais saudável de vida que essas pessoas geralmente adotam. Além disso, as dietas vegetarianas podem apresentar menor densidade energética e menor conteúdo de gorduras saturadas quando comparadas às dietas ocidentais que incluem carnes e derivados.

Entretanto, pode ocorrer que, ao excluir da dieta alimentos derivados de proteína animal, os vegetarianos realizem substituições pouco saudáveis, aumentando a quantidade de carboidratos consumidos. Por isso, sugere-se que sejam acompanhadas por nutricionistas, para melhor orientação da substituição dos alimentos, sem risco de deficiência ou quantidades excessivas de nutrientes.

Embora o consumo de carnes ou outros alimentos de origem animal não seja imprescindível para alimentação saudável, sua restrição (assim como de outros alimentos) requer maior atenção na combinação dos demais alimentos. Quanto maior a restrição, maior a necessidade de atenção. Em ambos os casos, vegetarianos ou onívoros, deve-se prezar pela combinação de alimentos in natura e minimamente processados em preparações culinárias que proporcionem prazer e saúde.

Fonte: Ministério da Saúde, 2018



Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/

Aprenda a diferença entre os principais tipos de alimentos

08 Out 2018 08h05 - atualizado em 08/10/2018 09h39
Aprenda a diferença entre os principais tipos de alimentos

Os principais tipos de alimentos são in natura, processados e ultraprocessados. As diferenças entre eles são grandes e devem ser observadas, especialmente quando se busca uma alimentação mais saudável.

Para isso, o ideal é que as refeições sejam baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados – sempre utilizando óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades. Para os processados, é interessante que haja um limite de consumo. Agora, como são bastante nocivos, os alimentos ultraprocessados devem ser evitados.

Conheça um pouco mais sobre os tipos de alimentos e aposte naqueles que podem contribuir para um cardápio rico em nutrientes.

Alimentos in natura

A escolha mais saudável na montagem do cardápio. São aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais para o consumo, sem que tenham sofrido qualquer alteração. Entram nessa categoria: folhas, frutas, verduras, legumes, ovos, carnes e peixes.

Alimentos minimamente processados

Outra opção saudável para montagem do prato. São aqueles que são submetidos a algum processo que não envolve agregação de substâncias ao alimento original. Exemplo de processos assim: limpeza, moagem e pasteurização. Dois exemplos de alimentos minimamente processados que marcam presença na maioria dos cardápios: arroz e feijão. Lentilhas, cogumelos, frutas secas, sucos de frutas sem adição de açúcar, castanhas e nozes sem sal, farinhas de mandioca, de milho de tapioca ou de trigo e massas frescas também são minimamente processados.

Alimentos processados

São aqueles fabricados pela indústria com a adição de sal, açúcar ou outro produto que torne o alimento mais durável, palatável e atraente. São os casos das conservas em salmoura (cenoura, pepino, ervilhas, palmito), compotas de frutas, carnes salgadas e defumadas, sardinha e atum em lata, queijos feitos com leite, sal e coalho e pães feitos de farinha, fermento e sal. Por terem adição de sal, gordura e açúcar, é interessante que façam parte da rotina alimentar sempre em pequenas quantidades e como parte de uma refeição baseada em alimentos in natura e minimamente processados.

Alimentos ultraprocessados

São formulações industriais, em geral, com pouco ou nenhum alimento inteiro. Esse tipo de alimento sempre contém aditivo, como é o caso das salsichas, biscoitos, geleias, sorvetes, chocolates, molhos, misturas para bolo, barras energéticas, sopas, macarrão e temperos instantâneos, salgadinhos chips, refrigerantes, produtos congelados e prontos para aquecimento como massas, pizzas, hambúrgueres e nuggets.

Fonte: Ministério da Saúde, 2018



Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/


Grelhado, o vilão da vez!

14 Ago 2018 09h00 - atualizado em 14/08/2018 15h46
Grelhado, o vilão da vez!

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Quem nunca ouviu falar ou leu:

“Ao consumir carnes, dê preferência ao grelhado.” E o por que desse titulo, nutri?!

Estudos tem comprovado que o ato de grelhar PODE ser prejudicial. Calma, termine de ler o texto antes de voltar a consumir carnes fritas ou tirar conclusões precipitadas.

Ao grelhar, acontece uma reação química chamada REAÇÃO DE MAILLARD. Processo de escurecimento não enzimático influenciado por temperatura, ph alcalino, alta umidade e composição (protéica) do alimento. O produto final dessa reação é a mudança de cor e sabor da preparação.

O problema está na dificuldade que o nosso organismo encontra em “limpar” os compostos chamados de AGEs (agentes de glicação avançada) formados por essa reação. Os AGEs, em excesso, podem levar danos ao DNA, aumentar risco de câncer, enfraquecimento dos vasos sanguíneos, problemas neurológicos como parkinson e alzhaimer.

As carnes que mais produzem AGEs em ordem decrescente são a carne de vaca, seguida pelo frango, porco, peixe e ovos. A carne de carneiro é a que menos produz AGEs.

E agora nutri?

Algumas técnicas dietéticas diminuem a formação desses compostos. Antes de grelhar uma carne, deixe marinar (no mínimo 8h) com limão (ou suco de frutas ácidas) e ervas como alecrim, orégano, alho e cebola. Prefira preparações mais úmidas e em baixas temperaturas como refogar e cozinhar. O uso de micro-ondas, por pouco tempo, parece não aumentar a produção de AGEs.

Evite consumir as crostas mais escuras das carnes, aumentar o consumo de antioxidantes como frutas e vegetais apresentam grande proteção do DNA contra os AGEs.
Sendo assim, caro leitor, agora você já pode repensar em como preparar a carne do almoço.

Beijo da nutri.

 

Você sabia que chá de canela pode melhorar sua cólica menstrual?

09 Ago 2018 13h21 - atualizado em 09/08/2018 13h59
Você sabia que chá de canela pode melhorar sua cólica menstrual?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637


Um estudo realizado em 2015 levantou pontos interessantes a respeito das funções do chá de canela. O nome do artigo é "Comparative Effect of Cinnamon and Ibuprofen for Treatment of Primary Dysmenorrhea: A Randomized Double-Blind Clinical Trial" e foi publicado na revista J.CLINIC DIAGN RES. em abril de 2015.

Pesquisadores separaram mulheres (na faixa de 38 anos) em três grupos. Um grupo usaria capsulas de canela, outro grupo usaria IBUPROFENO (remédio comumente usado para dor) e outro capsulas vazia. O objetivo era observar a intensidade e duração da dor.

Ao final do estudo, o grupo de mulheres em uso de canela tiveram uma resposta similar em relação à intensidade e dor quando comparadas com o grupo do IBUPROFENO.

Mas nutri, qual o problema de usar IBUPROFENO? O problema, caro leitor, está no uso excessivo e sem orientação médica. Muitas pessoas tem a famosa “farmacinha” em casa e a qualquer dor já faz uso do medicamento. Tais medicamentos podem lesionar a função hepática e causar ulceras gástricas.

Sabendo disso, quando você estiver com cólica, faça um bom chá de canela e relaxe. Além da ter uma melhor resposta à dor, você aproveitará dos benefícios de antioxidante do chá.

Beijo da nutri.
 

5 benefícios da semente de abobora

02 Ago 2018 08h35 - atualizado em 02/08/2018 08h58
5 benefícios da semente de abobora

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

O que você faz com as sementes da abóbora?

Despreza? Planta? Ou aproveita para a hora do lanchinho?

Se você se enquadra na última reposta, parabéns. Você possivelmente não relata cansaço, dores de cabeças e outros sintomas relacionados aos nutrientes presentes nesse alimento.

Então, Nutri, o que de tão poderoso tem na semente de abóbora?

1) A semente de abobora é rica em magnésio. Micronutriente relacionado ao cansaço mental e físico, câimbras e ansiedade.

2) Ótima fonte de zinco que ajuda a melhorar o sistema imunológico, cabelos, unhas e o apetite sexual.

3) Rica em vitamina E; potente antioxidante responsável por proteger a saúde da mulher de câncer de mama, além de diminuir as dores nos seios que algumas mulheres queixam no período menstrual.

4) Funciona como vermífugo.

5) Auxilia na redução do colesterol ruim, LDL.


Você pode inserir essa semente na sua rotina associada a iogurtes naturais, triturada em bolos, vitaminas, sopa ou até mesmo adicionar em mix de castanhas. Uma quantidade interessante a ser consumida é por volta de 100g de semente dia.
Beijo da nutri.
 

Depois das férias, tem algum segredinho para eu voltar mais rápido "à rotina metabólica”?

26 Jul 2018 08h43 - atualizado em 26/07/2018 08h52
Depois das férias, tem algum segredinho para eu voltar mais rápido "à rotina metabólica”?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

As férias estão chegando ao fim e surgem algumas dúvidas como:

1) Ganhei alguns quilinhos e agora?
2) Posso ficar na dieta cetogênica? Ou que tal a Low carb?
3) O jejum intermitente, poderia me auxiliar?


A resposta mais plausível cientificamente para todas elas: RESPIRE, DURMA BEM, MOVIMENTE-SE no mínimo 4x por semana, BEBA no mínimo 2l de água por dia e tome PROBIÓTICO.

Os probióticos são bactérias boas que auxiliam nosso metabolismo a retornar ao equilíbrio, interferindo positivamente no metabolismo de colesterol, da glicose, na produção de neurotransmissores e consequentemente na perda de peso.

Se colocarmos numa balança, o número de bactérias do nosso corpo é maior que a quantidade de células. Quando “saímos da homeostase” com álcool em excesso, privação de sono e consumindo alimentos com carboidratos e gorduras ruins, nossas bactérias “boas” morrem. Isso proporciona o crescimento de bactérias “ruins”. Esse desequilíbrio reflete no peso, na digestão, na pele e na ansiedade.

Dessa forma podemos concluir que não podemos estar saudáveis se nossas bactérias “boas” não estiverem. Portanto, volte à rotina aumentando a ingestão de água, dormindo no mínimo 6h por noite, consumindo um bom PROBIÓTICO e alimentos como repolho, brócolis, couve, batata doce, inhame, mandioca, abóbora. Esse vegetais alimentam nossas bactérias “boas”

Beijo da nutri.
 

Colágeno e suas funções terapêuticas

11 Jul 2018 10h01 - atualizado em 11/07/2018 10h03
Colágeno e suas funções terapêuticas

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Agora que já sabemos o que essa proteína tão linda podemos conversar sobre seus benefícios em nosso organismo.

Em linhas gerais, o colágeno atua:

1) Firmeza e elasticidade da pele junto com zinco, vitamina C, vitamina E e biotina;
2) Sustentação estrutural de dentes, ossos, vasos e pele associado a cálcio e magnésio;
3) Proteção de articulações;
4) Melhora do aspecto na pele, diminuindo o surgimento de estrias;
5) Diminui risco de osteoporose;
6) Diminui dor e a mobilidade em atrite e artrose


E se você já está quase convencido de iniciar o uso de colágeno, escolha sempre um produto de marca boa, que contenha no mínimo 9g de proteína e esteja associado à zinco, vitamina C e biotina.

Beijos da nutri
 

O que é o colágeno?

05 Jul 2018 08h00 - atualizado em 05/07/2018 08h11
O que é o colágeno?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Tenho certeza que alguma vez você já ouviu falar sobre esse tal de colágeno para melhorar articulações e até associado à promessa de anti aging (anti idade ou anti envelhecimento), certo? Mas até que ponto essas promessas tem fundação científica?

O colágeno é a proteína mais abundante em nosso corpo. Na pele, representa 70% de sua constituição e compõe 25% a 30% nas demais estruturas proteicas (articulação, músculo). O colágeno é composto por 3 partes (aminoácidos):glicina (30%), prolina (30%) 3 hidroxiprolina(10%). A nossa ingestão diária de proteínas como frango, peixe, ovos e alguns vegetais é insuficiente para garantir uma adequada produção dessa proteína.

A matéria prima para produzir o colágeno é extraída da pele de bovinos, suínos, aves ou peixes. Por ser uma proteína grande, o colágeno é submetido a um processo de redução de tamanho, chamado hidrolise (quebra através da água). Dessa forma, bem menor, o colágeno se torna mais fácil de ser absorvido.

Um dos motivos do aparecimento daquelas ruguinhas, celulites e estrias que surgem associadas aos aniversários completados é o rompimento das fibras de colágeno.

Após os 30 anos, a nossa produção de colágeno cai, em media 1% ao ano.

Agora que você já sabe o que é o tal do colágeno que tal falarmos sobre suas vantagens? Mas calma! Esse tema vem nos próximos posts. Fique de olho.

Beijos da Nutri !
 

Como melhorar a retenção de liquido?

28 Mai 2018 10h42 - atualizado em 28/05/2018 11h13
Como melhorar a retenção de liquido?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

A retenção de líquidos pode ser ocasionada por diversos fatores; vamos citar alguns:

1- Período menstrual;
2- Alterações patológicas de hormônios como tireoidites; 
3- Medicamentos;
4- Trabalhos que necessitam de varias horas em pé .

Para melhorar a primeira coisa a se fazer é:

BEBA ÁGUA. Seu corpo é composto por 70% de água. Essencial para refrigerar seu cérebro, para produzir sangue, como veículo e substrato de hormônios.
Para se certificar da sua necessidade real, basta multiplicar seu peso por 35ml de agua. Por exemplo, uma mulher com 70kg precisa ingerir em média 2.450ml de água por dia.

Garantido a real necessidade de agua vamos para alguns “truques”

1- Tome pela manhã 200ml de chá de cavalinha + raspas de limão;
2- Após almoço tome 200ml de chá de canela + hortelã;
3- Aumente a ingestão de semente de abóbora e girassol (fontes de zinco). O consumo de 20g por dia já é um ótimo início;
4- Faça um chazinho de camomila e acrescente raspas de limão antes de dormir.

Gostou das dicas ?? Fique de olho e logo logo teremos mais.

Beijos da nutri
 

Por que não é bom tomar remédio para dor pós treino ?

25 Mai 2018 08h39 - atualizado em 25/05/2018 09h11
Por que não é bom tomar remédio para dor pós treino ?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Conforme o post anterior, a lesão pós treino é necessária para gerar estimulo de crescimento ao músculo. Sem a lesão (não estou falando de lesão do tipo rompimento de tendões ou ligamentos) as fibras musculares tenderão a manter se no mesmo volume.

Remédios do tipo analgésico dificultam essa leitura e impossibilitam o crescimento muscular. Além dessa interferência na recuperação muscular, analgésico podem sobrecarregar a função renal e hepática.

Nutricionalmente, existem alguns segredinhos para aliviar dores musculares garantindo uma boa “cicatrização”. A glutamina, creatina, ZMA, BCAA são ótimos aliados.

E como devo tomar nutri? Qual a quantidade?

Essa é a melhor pergunta. E por isso merece a melhor resposta. DEPENDE. Procure um nutricionista e trace as melhores estratégias para seu objetivo.

Seu corpo é único. Trate-o da melhor forma.

Beijos da nutri.
 

Por que eu sinto TANTA dor Pós treino ?

21 Mai 2018 09h36 - atualizado em 21/05/2018 09h47
Por que eu sinto TANTA dor Pós treino ?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Você já sentiu dor após modificar seu treino?

Vou citar duas situações:

1) Quando aumenta sua corrida para 8km sendo que seu habitual eram 4km;
2) Quando aumenta a carga ou o numero de repetições das séries na academia.

Essa dor é normal, esperada e fisiológica. A recuperação muscular passa por 3 fases. Na primeira fase, o organismo vai tentar recuperar os substratos “gastos” com a nova rotina de treino, eliminar os metabólicos (como acido láctico, que gera as câimbras) e restabelecer o sistema nervoso, endócrino e cardiovascular.

Na segunda fase, seu corpo observa uma melhora do estado anterior. E por fim, você já não sente mais dor e seu treino não te desafia mais.

As três fases são importantes e necessitam de um suporte nutricional adequado. Excluindo a possibilidade de lesão, as dores serão mais intensas quando esses nutrientes estiverem em falta. Então, se você observa dores muito fortes (até 48h) após o treino fique de olhe nesses nutrientes.

Para uma boa recuperação, estamos falando em uma boa reserva ou ingestão de magnésio, complexo B, ferro, aminoácidos essenciais, creatina, glutamina e zinco.
Uma correta hidratação também está relacionada à melhor recuperação pós treino.

Para saber mais sobre como conseguir alimentos com esses nutrientes e como suplementá-los, fique de olho nas próximas dicas.

Beijos da nutri.
 

Hábitos do dia a dia que podem causar dores na coluna

14 Mai 2018 08h58 - atualizado em 14/05/2018 09h21
Hábitos do dia a dia que podem causar dores na coluna



Você tem o costume de prestar atenção se está sentado da maneira correta, por exemplo, ao sentar-se no carro, no sofá ou cadeira de casa e/ou do trabalho? Pode parecer uma prática irrelevante e de pouco costume, porém, este pequeno detalhe que não faz parte do nosso dia a dia, pode acarretar em problemas sérios na coluna.

Segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde (2014), aproximadamente 27 milhões de brasileiros adultos sofrem de alguma doença de coluna, sendo que, as dores na lombar são as mais frequentes.

Bruno Côrtes, presidente da Sociedade Brasileira de Coluna – Regional RJ, neurocirurgião e responsável pela clínica Coluna-Com dá algumas dicas para manter sempre uma postura correta. “A pessoa que passa muito tempo sentada deverá levantar-se em tempos regulares e se alongar. Também deverá estar sempre atenta se seu tronco está ereto e não encurvado. A pessoa deve ter o hábito de se policiar nas posturas, que começam a piorar principalmente quando o cansaço chega”, revela.

Côrtes ainda revela que, banco do carro ou cadeira, por exemplo, são alguns dos maus hábitos praticados pelas pessoas no dia a dia e ressalta que o tronco precisa ficar na curvatura de 90º C ao sentar-se nesses lugares. O médico completa que sentar de forma incorreta faz com que a pessoa provoque um vício de postura na qual a coluna pode acostumar, mesmo que seja de forma errada.

Confira outras dicas para manter uma boa postura:

– Exercícios físicos regulares;
– Alongamento;
– Posicionar os ombros levemente para trás;
– Evitar cruzar as pernas.  



Fonte:
By Da Redação - Disponível em revistamelhor.com.br 

Antepasto de berinjela

09 Mai 2018 09h41 - atualizado em 09/05/2018 10h26
Antepasto de berinjela

INGREDIENTES:
• 3 berinjelas em cubos
• 1 pimentão amarelo picado
• 1 pimentão vermelho picado
• 1 cebola picada
• 1 xícara (chá) de uva-passa preta sem sementes
• 1 xícara (chá) de azeitona verde picada
• 1/2 xícara (chá) de nozes picadas
• 2/3 de xícara (chá) de azeite
• 4 colheres (sopa) de vinagre
• 1 colher (sopa) de açúcar mascavo
• Sal a gosto
• Pão italiano em fatias para acompanhar

MODO DE PREPARO
Em uma tigela, misture todos os ingredientes até homogeneizar. Despeje em uma fôrma e leve ao forno baixo, preaquecido, por 40 minutos, virando na metade do tempo. Retire, deixe esfriar e sirva acompanhado de pão.

Rendimento: 8 porções




Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/

ALCATRA COM VINHO

06 Abr 2018 15h35 - atualizado em 26/04/2018 17h47
ALCATRA COM VINHO



INGREDIENTES:

• 1kg de alcatra cortada em cubos
• 2 xícaras (chá) de vinho tinto seco
• 2 dentes de alho picados
• Alecrim, tomilho, folhas de louro e sal a gosto
• 2 cebolas picadas
• 200g de champignon picado


MODO DE PREPARO
Em uma tigela, coloque os cubos de alcatra, o vinho, o alho, alecrim, tomilho, folhas de louro e deixe marinar de um dia para o outro. Retire a carne e reserve a marinada. Aqueça uma panela antiaderente e frite os cubos de carne até dourar. Acrescente a cebola e refogue por 5 minutos. Coloque a marinada reservada, tempere com sal, misture e cozinhe por cerca de 30 minutos ou até que a carne fique macia. Misture o champignon, retire do fogo e sirva.

Rendimento: 5 porções



Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/


Tire suas dúvidas sobre tipos de óleos para frituras

06 Abr 2018 15h01 - atualizado em 19/04/2018 09h26
Tire suas dúvidas sobre tipos de óleos para frituras



De acordo com o Ministério da Saúde, os óleos vegetais são considerados de qualidade nutricional superior às gorduras animais. Isso porque possuem menor quantidade de gordura saturada e maior de insaturada. Então, devem ter prioridade na cozinha.

Os óleos mais utilizados são os de soja, milho, girassol e canola, e a forma de preparo dos alimentos é fator decisivo na hora de escolher qual produto utilizar.

No caso das frituras, o óleo é submetido a altas temperaturas em presença de ar e água. Essa condição favorece a formação de substâncias tóxicas, altera as propriedades nutricionais do produto, provoca a perda de antioxidantes e causa transformações, como aumento da viscosidade e alteração da cor e do cheiro.

Pensando em reduzir esses danos, os óleos que apresentam maior resistência às altas temperaturas (aquele que têm o ponto de fumaça mais alto) são os mais indicados para esse tipo de preparação.

São eles: óleos de soja, palma e girassol (ponto de fumaça entre 226 e 232 graus); óleo de canola (213 a 223 graus), de milho (204 a 212 graus) e azeite de oliva (175 a 190 graus).

Vale a pena conhecer (e aplicar na cozinha) algumas orientações da Anvisa sobre o uso correto dos óleos:

• Temperatura máxima para fritura de 180 graus, ou seja, sem produzir fumaça.

• Fritar por longos períodos, em vez de utilizar a fritadeira por vários períodos curtos.

• Quando a fritadeira não estiver sendo utilizada, deve ficar parcialmente tampada, evitando o contato do óleo quente com o oxigênio. Isso evita sua oxidação.

• O óleo deve ser filtrado a cada término de uso, retirando os resíduos visíveis.

• Em intervalos de uso, o óleo deve ser armazenado em geladeira, em recipientes tampados e protegidos da luz.

• Evitar completar o óleo em uso com óleo novo, devendo-se descartar as sobras de óleo.

• O óleo deve ser descartado quando houver formação de espuma e fumaça durante a fritura, escurecimento intenso e percepção de odor e sabor não característicos.

Lembrando: consumir alimentos fritos com frequência é prejudicial à saúde, favorecendo o ganho de peso, surgimento de doenças cardiovasculares, artrite, disfunções gastrointestinais e envelhecimento precoce. Então, evite!



Esta  é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/

ABBT divulga nova pesquisa de preços médios de refeições no país

05 Abr 2018 15h58 - atualizado em 30/05/2018 09h34

 
Para você que almoça fora de casa com frequência, já se perguntou qual a durabilidade de seus créditos de Vale Refeição? Quantas refeições é possível fazer?

Se o seu vale mensal for por exemplo de R$ 300,00, de acordo com a nova pesquisa de preço médio de refeições da ABBT, com este crédito é possível fazer em média no país 9 refeições. Se você reside em Goiânia-GO, por exemplo, a média sobe para 10 dias comendo fora.

Estes valores variam de capitais para capitais, principalmente quando observada regiões diferentes do país. A região com a menor média foi o Centro-Oeste com valor de R$ 32,87 e máxima no Sudeste com R$ 34,49. O custo médio nacional para almoçar fora de casa foi de R$ 34,14.

Confira abaixo a relação das capitais pesquisadas pela Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT).

 


O que comemos pode mudar nosso DNA?

02 Jan 2018 10h00 - atualizado em 02/01/2018 10h38
O que comemos pode mudar nosso DNA?


Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Será possível essa interrogação: o que comemos é capaz de mudar nosso DNA? Ela é tão possível que se existe uma ciência, a qual estuda basicamente essa linda e ainda misteriosa interação chamada nutrigenômica; a nutrição sendo capaz de mudar a expressão de genes com o objetivo principal de prevenir doenças e manter a homeostase.

A tal conhecida intolerância a lactose pode ser explicadapor uma mutação no gene da enzima que degrada a lactase em dois tipos de açucares (glicose e galactose).

A nutrigenômica estuda por anos a influência da dieta na estrutura e expressão dos genes. Esse estudo é feito através da comparação de dados genéticos de pessoas saudáveis ou doentes com seu padrão alimentar.

Embora existam muitas pesquisas recentes na nutrigenômica, estamos desbravando uma nova interação dieta x genes. Alguns testes genéticos mostram genes que podem causar patologias no fenótipodo individuo; a nutrição é capaz de suavizar ou diminui a expressão desses genes. Tais exames são de alto custo e pouco difundido. Enquanto essa tecnologia não chega para todos, faça escolhas conscientes. Coma pensando em NUTRIENTES. DESCASQUE mais, DESEMBRULHE menos. Nosso corpo foi feito para comer alimentos e não produtos alimentícios. Procure um nutricionista para mais informações.

NutritionReviews. Vol. 68, Supplement1, Pages S38–S47.
Cancer Prev. Res. 2010, Vol. 3, pp. 1505-8
  

Ceia de Natal, só me resta “Jacar?”

19 Dez 2017 16h10 - atualizado em 21/12/2017 14h18
Ceia de Natal, só me resta “Jacar?”



Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637


E chegou o Natal. Momento de confraternizações, muitas reuniões, troca de presentes, abraços e afetos. Época de perdão e reflexão sobre o ano que já esta quase no fim.

Em contrapartida aos sentimentos mais singelos, surge a tal GULA. Tudo porque não somos condicionados a comer de forma consciente. Pensamos: “Mas é só uma vez no ano, então posso comer até não caber mais”. Reflita: Será se vale a pena comer todos os pratos da ceia de Natal e ainda associar grandes volumes de bebida alcoólica? Será se vale a pena você exagerar no dia 24 e no dia 25 passar o dia deitado, de ressaca?

Ok, nutri, você me convenceu. Tem algum prato de natal que posso torna ló mais saudável?

Já pensou em misturar o arroz branco com o arroz integral e adicionar as passas? Ou ainda usar menos farinha de mandioca para fazer a farofa e inserir um pouco de farelo de trigo ou aveia? E que tal adicionar xilitol ou stevia (adoçante natural) nas preparações doces?

E se mesmo com toda essa reflexão você achar que DEVE comer SIM. Então fique a vontade. Mas no outro dia, tente beber mais agua ( no mínimo 2,5l) e fazer uma caminhada leve (no mínimo 40minutos).

Não é pecado ou não significa que você não é uma pessoa fitness porque você comeu doce ou comeu o arroz branco! Ser saudável é o resultado de escolhas conscientes. Coma de tudo em pequenas porções. Abrace, diga que ama e movimente se.

Um feliz e Santo Natal. Beijos da Nutri.
 

DOWN E NUTRICAO

13 Dez 2017 18h24 - atualizado em 15/12/2017 17h53
DOWN E NUTRICAO


Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

A Sindrome de Down é uma alteração no numero de cromossomos do individuo. Foi descrito incialmente em 1862 por um medico britânico John Langdon Down. Ultimamente os adultos com Down apresentam grande expectativa de vida, chegando a 70 anos devido a evolução de terapias.

Individuos portadores da síndrome são mais propensos a terem infecção do trato gastro intestinal, vias respiratórias, e trato urinário. Essa maior incidência se deve a alterações de células de defensa (linfócitos T). Alterações cardíacas, oculares, tireoidianas e de gonodas também são frequentes.

Alteracões de peso, chegando a obesidade também apresentam alta prevalência na população e por isso precisa de mais atenção. Sendo assim, vários nutrientes e fitoquímicos são capazes de melhorar o funcionamento ou prevenir complicações no fenótipo dos indivíduos.

A Colina, uma vitamina do complexo B, apresenta relação na formação de novos neurônios, além de proteger suas membranas (bainha de mielina). Ovo , farelo e germen de trigo, carne são boas fontes.

A suplementação de zinco melhora o sistema inume mais deficitário, potencializa a função tireoidiana, além de reduziros níveis de cobre que são mais altos em pacientes com Donw. Sementes de abobora, gergelim, girassol, feijão e carnes são boas fontes de zinco.

Coenzima Q10 é uma subtância produzida pelo nosso organismo com o objetivo de aumentar a produção de energia. Pacientes com Down apresentam hipotonia, dessa forma, a suplementação com coenzima Q10 sugere melhorar a biogênese mitocondrial (formação de energia) dos indivíduos.
Ômega 3, por ser fator constituinte da membrana que reveste os neurônios é super importante uma vez que diminui risco de Alzheimer e melhora a capacidade cognitiva dos pacientes.

Além desse ativos especificamente, vamos pincelar sobre pontos chaves na dieta para esses indivíduos. Estudos mostram que a exclusão ou ingestão diminuída de alimentos com gluten e caseína melhoram potencialmente infecções do trato respiratório,gastro intestinal e urinário, além de diminuir alergias e dermatites.
Para um melhor acompanhamento procure um nutricionista.

Revista ESSENTIA,12º EDICAO, pag26.
 

Entendendo o Jejum intermitente

11 Dez 2017 18h26 - atualizado em 11/12/2017 18h46
Entendendo o Jejum intermitente



Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637


O jejum intermitente está se tornando modinha devido seus impactos na perda de peso. E será se tal fato tem comprovação cientifica? E o que de fato é o jejum?

O jejum intermitente pode ser definido como um padrão alimentar em que se alternam períodos de alimentação e jejum. O numero de horas sem alimentos vai depender dos protocolos; os mais comuns envolvem 12h, 16h e ate 24h, duas vezes na semana.

O jejum é um hábito antigo de algumas religiões e, se pensarmos na fisiologia, é uma técnica bastante natural para nosso corpo. Nossos antepassados não comiam com tanta frequência e não tinha meios de guardar alimentos por muito tempo, por isso o jejum se tornava natural.

No jejum, ocorrem alterações hormonais e nutricionais. Por exemplo, durante o período, os níveis de açúcar do sangue (GLICOSE e INSULINA) caem e elevam alguns hormônios como o GH, conhecido como hormônio do crescimento.

Existem vários estudos comprovando cientificamente os benefícios do jejum; impactos positivos diminuindo risco em problemas cardiovasculares, parkinson, Alzheimer e câncer.

Mesmo com tantos benefícios comprovados, é importante procurar orientação nutricional individualizada.

Caramelli B. Ikeoka D., Azevedo F.R. Effects of intermitente fasting on metabolismo in men. Reviewarticle. Rev. Assoc. Med. Bass 2013

 

Minha dieta pode interferir na Menopausa?

16 Nov 2017 16h19 - atualizado em 08/12/2017 14h24
Minha dieta pode interferir na Menopausa?


Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

A menopausa pode ser definida como o período após a ultima menstruação espontânea da mulher. Num intervalo de alguns anos, a mulher pode ter menstruações oscilantes. Esse tempo de transição é chamada de climatério.

Lendo ao pé da letra, climatério significa fase critica, englobando o período de alterações hormonais nas mulheres, geralmente iniciada aos 40 anos (alguns artigos falam de 45 anos) e se estendendo até a menopausa. Em linhas gerais, climatério compreende a pré menopausa ate sua conclusão.

Esse período pode ser simploriamente definido como alteração de 2 hormônios: estrogênio e progesterona, encerrando a fase reprodutiva da mulher. Tais mudanças hormonais refletem em sintomas como fogachos (calores), insônia, enxaqueca, inchaço, hipotireoidismo subclínico, perda da massa óssea, oscilação de humor, depressão, ganho de peso e ate pressão alta e diabetes.

Hábitos de vida como atividade física e um plano alimentar rico em antioxidantes suavizam os sintomas. Existem vários estudos que elucidam o poder de alguns alimentos e nutrientes no climatério.

1) Isoflavona

A isoflavona é conhecida como um fitoestrôgeno, hormônio extraído da planta com função semelhante ao estrógeno humano. Soja, ervilha, broto de alfafa, trevo vermelho são potentes fontes. Consuma no mínimo uma porção por dia. É importante observar que pacientes que já tiveram câncer de mama ou que tenham histórico desse câncer não são aconselhados a usarem a isoflavona.

2) Resveratrol

O resveratrol é outro fitoestrogeno capaz de diminuir orisco de pressão alta, resistência a insulina no climatério. Pode ser encontrado em suco de uva integral, casca de uvas azedas e escuras e amora.

3) Lignanas

São também fitoestrógeno, presentes na linhaça, capazes de amenizar fogachos.

4) Zinco, magnésio, boro,complexo B, vitamina D, vitamina E

Micronutrientes relacionados à produção de neurotransmissores, fixação do cálcio nos ossos, produção de colágeno e diminuição da oxidação celular. Alimentos como aveia, vegetais folhosos escuros, frutas secas (em quantidades moderadas), ovo, atum, sardinha apresentam quantidades significativa desses micronutrientes.

5) Triptofano

Um aminoácido que participa da produção de serotonina e melatonina. A serotonina é um neurotransmissor relacionado ao bem estar, humor estável. A melatonina é um hormônio envolvido no sono, na prevenção de osteoporose e depressão. No climatério, ambos estão diminuídos. O consumo de alimentos fontes de triptofano induz a síntese, melhorando os sintomas relacionados.

6) Reduzir o consumo de açúcar

7) Aumentar o consumo de óleos bons

Portanto, sua dieta pode interferir na qualidade do seu envelhecimento. Faça escolhas conscientes. Procure um nutricionista.


GERRIC et al, Fruit, mediterranean style, and high fat and sugar diets ar associated with the risk of niggt sweats an hot flushes in midlife:results from a prospective cohort study. Am J. Ciencie Nov. 2013
SUKHWINDER et alt. nutritional facts and menopausal symptomatology: the role of nutraceuticals. Journal of medical Nutrition and Nutraceuticalsjan 2012
 

Que tal um peixinho para o almoço?

07 Nov 2017 13h00 - atualizado em 08/12/2017 14h19
Que tal um peixinho para o almoço?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

É comum ouvirmos nas redes sociais e demais meios de comunicação que é mais saudável consumir peixes e frango ao invés de carne vermelha. Mas de onde vem essa afirmação? Você já pensou nisso?

Os peixes em geral são ricos em vitaminas A, D, cálcio, fosforo, ferro, cobre, selênio. Os peixes de agua salgada contem ainda Iodo. Essa composição colabora para uma boa saúde óssea, mental e do sistema imune.

O consumo de peixes também esta relacionado à melhora da função cerebral e menor risco de desenvolvimento de doenças como Parkinson e Alzheimer. Sua composição rica em ácidos graxos poli insaturados (EPA e DHA) contribui para a proteção dos neurônios, melhorando a velocidade de transmissão das informações e por consequência a memoria. Peixes contem todos os aminoácidos essenciais, e com alto valor biológico, ou seja, de fácil absorção.

Agora que você já sabe, por que não inserir o peixe na alimentação da sua família no mínimo 3x na semana? Não espere para datas comemorativas. Peixe cozido, assado ou no molho vermelho (caseiro) são pratos deliciosos e de grande valor nutricional!

Fonte: SARTORI, A.G.O. et al. Pescado: a importância nutricional e consumo no Brasil. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, 19 (2):83-93,2012

  

OUTUBRO ROSA, PREVINA-SE

18 Out 2017 16h13 - atualizado em 08/12/2017 14h24
OUTUBRO ROSA, PREVINA-SE


Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Entramos no mês em que muitos prédios, clinicas, hospitais, museus e outros monumentos ficam iluminados de rosa, com o objetivo de lembrar da prevenção do Cancer de mama. O movimento Outubro Rosa começou em 1985 através de uma parceria entre a American CancerSociety, empresas e organizações.

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo. Pode acometer o sexo masculino porém é muito raro, apenas 1%.
Sua incidência cresce após os 50 anos, porém existem casos antes dos 35 anos. Diversos fatores estão associados às suas causas como idade, fatores endócrinos, história reprodutiva, fatores comportamentais, genéticos e hereditários.

O velho e famoso jargão cabe bem aqui: “´prevenir é o melhor remédio”. Estima se que 28% dos riscos podem ser diminuídos por meio do controle alimentar, pratica de atividade física e sono regular.

Uma dieta rica em vegetais crus, frutas, azeite, castanhas, carnes brancas e muita agua são resumidamente uma boa estratégia para prevenir câncer de mama. Manter um padrão de 8 horas de sono e treinos de no mínimo 4x na semana colaboram para essa prevenção. 

O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional?

13 Jul 2017 16h35 - atualizado em 13/07/2017 16h40
O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional?

As leis que regulamentam as informações das tabelas nutricionais dos rótulos dos alimentos estão cada vez mais rigorosas. Tudo para que a composição dos produtos fique o mais claro possível para o consumidor, que, assim, tem maior autonomia para fazer suas escolhas. Aqui, explicamos um pouco do que significam os itens que são obrigatórios na tabela:

Valor Energético

É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem nutricional, o valor energético é expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ). O quilojoule (kJ) é outra forma de medir o valor energético dos alimentos, sendo que 1kcal equivale a 4,2kJ.



Carboidratos

São os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer a energia para as células do corpo, principalmente do cérebro. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos (como batata, mandioca e inhame) e doces em geral.



Proteínas

São componentes dos alimentos necessários para construção e manutenção dos nossos órgãos, tecidos e células. Encontramos nas carnes, ovos, leites e derivados, e nas leguminosas (feijões, soja e ervilha)



Gorduras Totais

As gorduras são as principais fontes de energia do corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal.



Gorduras Saturadas

Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal. São exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga, requeijão, iogurte integral. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado porque, em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Alto %VD significa que o alimento apresenta grande quantidade de gordura saturada em relação à necessidade diária de uma dieta de 2000Kcal.



Gorduras Trans ou Ácidos Graxos Trans

Tipo de gordura encontrada em grandes quantidades em alimentos industrializados como as margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, snacks (salgadinhos prontos), produtos de panificação, alimentos fritos e lanches salgados que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que o nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e ainda porque, em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Não se deve consumir mais que 2g de gordura trans por dia. Curiosidade: o nome trans é devido ao tipo de ligações químicas que esse tipo de gordura apresenta.



Fibra Alimentar

Está presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. Sua ingestão auxilia no funcionamento do intestino. Procure consumir alimentos com alto %VD de fibras alimentares!



Sódio

Está presente no sal de cozinha e alimentos industrializados (salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos, produtos enlatados com salmoura) devendo ser consumido com moderação uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Evite os alimentos que possuem alto %VD em sódio.



Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/

Alimentos que aliviam a enxaqueca

12 Jun 2017 14h10 - atualizado em 08/12/2017 14h24
Alimentos que aliviam a enxaqueca

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

A enxaqueca é caracterizada pela dor de cabeça persistente com duração de horas ou dias, acompanhada de enjoou, vômitos, sensibilidade à luz, pontos luminosos, cegueira parcial, e até formigamento no corpo e face.

Ocorre por desequilíbrios de neurotransmissores e hormônios decorrentes do estilo de vida, e pode ter caráter genético também.
É necessário descobrir os gatilhos que desencadeiam as crises. Alimentos, jejuns prolongados, poucas horas de sono são conhecidos como motivos para enxaqueca.
Porém o que poucas pessoas sabem é que metais pesados e carências nutricionais são relevantes para potencializar a enxaqueca.

Um estudo da Universidade de Yuzuncu Yil, Turquia, dosou níveis séricos de metais pesados e micronutrientes de 50 pessoas com diagnóstico de enxaqueca.
O resultado foi surpreendente. Pessoas com enxaqueca tinham 4x mais cádmio e manganês, e 2x mais chumbo que pessoas do grupo controle (sem queixas de cefaleia). Entre os micronutrientes abordados conclui-se que os níveis de ferro e cobre eram 2x menor. Os níveis de magnésio eram 3x menores que o grupo controle. E o micronutriente que teve maior carência foi o zinco, 24x menor no grupo de pacientes com enxaqueca.

Sabendo disso, que tal diminuir o uso de medicamentos para dor e mudar de hábitos? Praticar atividade física no mínimo 4x na semana, dormir até no máximo às 22h e se alimentar melhor?

Vegetais folhosos escuros, como couve, rúcula, espinafre, carne magras, atum, sardinha e ovo repõem complexo b e ferro.
Atum, sardinha, sementes de abóbora, semente de girassol, oleaginosas, ovos são ótimas fontes de zinco.

Procure um nutricionista e faça um plano alimentar individualizado.
 

Tudo que você precisa saber sobre Abacates

07 Jun 2017 15h47 - atualizado em 07/06/2017 17h05
Tudo que você precisa saber sobre Abacates

Originária do México e América Central, o Abacate é uma fruta rica em nutrientes e ao mesmo tempo em calorias. 100 gramas do produto que tem em média 245 calorias.

Entretanto, seu diferencial está na composição de suas gorduras, onde cerca de 70% dela é monoinsaturadas, a maioria de ácido oleico, e o restante é composto por gorduras poli-insaturadas (ômega-6 e ômega-3) e saturadas (ácido palmítico).

Outra riqueza desta fruta latina é a forte presença de fibras, além de minerais e vitaminas, tais como: A, B, C, E, cobre, manganês, magnésio, fósforo, potássio e zinco.

Curiosamente, o Abacate possui mais potássio do que bananas, e protege o corpo contra doenças cardíacas e vasculares. Além disso, abacates são uma rica fonte de folato (ácido fólico ou vitamina B9), o que melhora o desempenho cardíaco e reduz significativamente o risco de ataques e doenças cardíacas.

Entre os principais benefícios do Abacate, destacam-se:

• Reduz a taxa de colesterol e pressão sanguínea
• Possui ação antioxidante
• Age contra prisão de ventre e perturbações digestivas
• Possui ação anti-inflamatória
• Auxilia na desintoxicação do fígado
• Evita fadiga mental
• Ajuda na formação de ossos e dentes
• Fornece energia aumentando a disposição

A textura do abacate é tão interessante que é usado na culinária em diferentes formas - desde simples cortes em saladas como em molhos, sanduíches, coquetéis, sopas e até mesmo sobremesas.


Fonte: Esta é uma dica kitchenmag.ru adaptada por nosso blog.

Medalhões de frango com molho pesto

05 Jun 2017 14h26 - atualizado em 05/06/2017 14h40
Medalhões de frango com molho pesto

Inove nas preparações com frango. Varie o filé de frango grelhado e experimente essa receita saudável de medalhão de frango com molho pesto.
Ingredientes:

100 g de muçarela
6 peitos de frango sem osso e sem pele
1 colher de sopa de cebolinha verde picada
1 colher de sopa de manjericão
2 cenouras em tiras finas
Páprica e pimenta-do-reino a gosto
Molho pesto:
2 xícaras de chá de manjericão
1/3 de xícara de chá de azeite de oliva
1 dente de alho
1/3 de xícara de chá de parmesão ralado
1/2 xícara de chá de noz pecã ou pinhão
1/4 a 1/2 xícara de chá de caldo de galinha caseiro

Modo de preparo:
Coloque a muçarela em água fria por algumas horas, renovando a água a cada hora. Corte-a em pedaços; e reserve. Coloque os peitos de frango em uma superfície lisa, salpique-os com as ervas, a páprica e a pimenta. Faça seis bolas com a muçarela e coloque no centro de cada peito. Enrole um a um e amarre com barbante, certificando-se de que as pontas estão dobradas e presas para o queijo não sair ao derreter. Coloque-os numa assadeira antiaderente, sem untar. Asse por 15 a 20 minutos, ou até que a carne fique branca. Ponha a cenoura em água gelada por pelo menos 10 minutos. Deixe o frango esfriar. Corte cada peito de frango em medalhões de 1,5 cm e arrume-os sobre as tiras de cenoura. Cubra cada medalhão com um pouco de molho pesto.

Modo de preparo – Molho pesto
Coloque no liquidificador o manjericão, o azeite, o alho, o parmesão e as nozes. Processe até ficar espumante, empurrando para baixo o creme que for ficando na borda do copo. Se a mistura ficar espessa durante o processamento, adicione aos poucos o caldo de galinha para afinar.
Dica: sirva com arroz branco, salada de grão-de-bico, com folhas verdes e tomate. E, aposte numa porção de fruta de sobremesa.
 


Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/

Alimentos que amenizam sintomas da menopausa

01 Jun 2017 10h01 - atualizado em 02/06/2017 11h42
Alimentos que amenizam sintomas da menopausa

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

A famosa e temerosa menopausa consiste num período de alteração de hormônios sexuais, podendo ocorrer dos 40 até os 60 anos de idade nas mulheres. Fisiologicamente a progesterona declina mais rápido que a produção de estrogênio, gerando sintomas como alterações de humor, irritabilidade, depressão, diminuição do libido, retenção de líquidos, ganho de gordura e perda de massa magra (músculos)

Será possível amenizar os sintomas dessa fase? SIM!

Primeiro passo: Ter uma alimentação rica em antioxidantes com vegetais e frutas diversas. Evite a monotonia, varie as frutas, vegetais e folhosos; prove novos alimentos.

Alimentos ricos em magnésio, complexo B e cromo são ótimos aliados. Sementes de gergelim, semente de girassol, semente de abobora, semente de melancia, castanhas do Brasil, amêndoas, cacau, brócolis, quiabo, coentro, espinafre, cebolinha e hortelã são os campeões em Magnésio.

A maioria dos vegetais folhosos escuros, leguminosas (vagem, feijão, miúdos orgânicos, peixes e carnes orgânicas) são ricos em complexo B.
O cromo pode ser encontrado em peixes de mar (atum, sardinha etc), cereais integrais (como aveia, farelo de trigo) e chá preto.

Alguns chás amenizam sintomas como irritação e depressão como mulungu, passiflora, maracujá e dente de leão. Evite adicionar açúcar aos chás, substitua por frutas secas quando a água estiver fervendo ou pelo stevia.

Aumenta a ingestão de proteína da dieta, diminui compulsão alimentar e ameniza perda de massa magra. Opte por proteínas de ótima qualidade como ovos e frangos caipiras, atum ou sardinha. O colágeno hidrolisado mostrou-se um forte aliado contra o ganho de peso.

Segundo passo: Evitar tabaco.

Terceiro passo: Fazer atividade física no mínimo 4x na semana, por no mínimo 40 minutos, de preferência atividade de alta intensidade.
Agora, você já pode por em prática as dicas, vá à feira e troque as embalagens de alimentos prontos por vegetais, frutas, ovos e peixes; procure um nutricionista para uma orientação mais individualizada.
 

Dica de Café da Manhã de Mingau com banana

29 Mai 2017 08h33 - atualizado em 29/05/2017 10h41
Dica de Café da Manhã de Mingau com banana

Que tal começar o dia com uma deliciosa, nutritiva e saudável receita no seu café da manhã ? Seja criativo e deixe também seu toque especial na hora do preparo.

Ingredientes:
• Flocos de aveia - 1 xícara
• Banana - 3 unidades.
• Óleo de coco - 1/4 xícara
• Xarope de bordo (Ácer)* - 1/4 de copo
• Canela - pitada
• Baunilha - a gosto
• Sal Marinho - pitada
• Chocolate picado - a gosto


Preparação:
1. Prepare aveia, seguindo as instruções da embalagem.
2. Aqueça o óleo em uma frigideira em fogo médio.
3. Adicionar xarope de bordo, canela e extrato de baunilha. Ferva em fogo baixo.
4. Adicione as bananas e corte em fatias e cozinhe por 3-5 minutos, mexendo ocasionalmente. Retire do fogo.
5. Misture aveia com bananas.
6. Polvilhe com sal marinho e o chocolate.

* O Xarope de Bordo ou Ácer, também conhecido como Maple Syrup, é extraído da seiva bruta do bordo. Pode não ser encontrado facilmente no Brasil, por ser mais popular nos Estados Unidos e no Canadá, desta forma, uma alternativa é utilizar mel ou geléias em substituição ao produto.

Fonte: Esta é uma dica kitchenmag.ru adaptada por nosso blog.

O que comer antes do treino?

25 Mai 2017 09h08 - atualizado em 26/05/2017 10h10
O que comer antes do treino?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Dúvida super comum! E a resposta é: DEPENDE!

Depende, nutri? Sim! Depende do seu objetivo, da modalidade e intensidade de seu treino. Explanando em linhas gerais, vamos abordar o que comer antes do treino para PERDER PESO, o que comer para MANUTENÇÃO DE PESO e dicas para HIPERTROFIA.

Para PERDER PESO, ou seja, diminuir a massa gorda, o ideal é associar um pouco de carboidrato, pouca gordura (apenas as fontes boas) e mais proteína.

Exemplo: tapioca (no máximo 2 col. de sopa rasa) +azeite de oliva + atum/sardinha/ovo caipira OU fruta + punhado de oleoaginosas (de 4 a 6unidades) + 1col. Sobremesa de chia ou linhaça ou bolinho ou pao low carb (vou deixar a receitinha)

Para MANUTENÇÃO DE PESO, é ideal manter equivalente as porções de carboidratos, proteínas e gorduras.
Exemplo: omelete (2ovos) + 2col sopa de farelo de aveia OU pão integral + 1 fatia de queijo minas + atum ou sardinha.

Para HIPERTROFIA, vamos aumentar a ingestão de proteínas e adequar carboidratos e gordura ao longo do dia.
Exemplo: pão integral + creme de ricota + frango/atum/sardinha/ovo mexido + 1 punhado de castanhas + 1 punhado de oleaginosas (4 a 6 unidades) ou crepioca (3ovos + 1col sopa de tapioca + 1 col. Sopa de aveia)

É muito importante lembrar que somos seres únicos e por isso precisamos ser avaliados individualmente. As opções podem ser usadas como um norte, porém para melhor desempenho procure um nutricionista.

Evite peito de peru, presunto, mortadelas e demais embutidos. Não se esqueça da hidratação. Um cálculo simples pode ser feito multiplicando seu peso x 30ml de água. Dessa forma você saberá qual sua necessidade hídrica diária. As suplementações também precisam ser avaliadas cautelosamente. Não faça sozinho!

Procure um nutri amigo!
Até mais !!

Receitinha:
Farinha de côco – 4 colheres de sopa
Sementes de linhaça moída – 2 colheres de sopa
Farinha de amêndoas – 2 colheres de sopa
Água – meio copo ou mais
4 ovos
2 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de creme de leite. (com menor quantidade de carboidrato - ler o rotulo)
Sal a gosto
Meia colher de fermento químico.

Modo de preparo:
• Bata as farinhas no liquidificador (pulse) ou moedor.
• Coloque as farinhas em uma forma.
• Adicione todos os ingredientes.
• Misture tudo.
• Deixe por 30 minutos no forninho ou por 4 minutos no microondas e pronto!!
 

Você costuma desperdiçar muitos alimentos ? Então precisa ler isto...

15 Mai 2017 16h10 - atualizado em 15/05/2017 16h56
Você costuma desperdiçar muitos alimentos ? Então precisa ler isto...

No Brasil, de acordo com o instituto internacional World Resources Institute (WRI), são desperdiçados anualmente cerca de 41 mil toneladas de alimentos, nos colocando no Top 10 do ranking de desperdício do mundo. Entre os motivos, estão: colheita, pós-colheita, distribuição, além da perda no processo final, ou seja, no varejo e consumo.

Segundo a ONU, um terço de todo alimento produzido no mundo vai para o lixo. Pensando nisto, preparamos algumas dicas para lhe auxiliar no planejamento de suas compras, que além de ajudar para diminuir o desperdício, pode ser útil para suas economias.

1. Faça uma lista
Antes de ir ao supermercado, faça uma vistoria na sua geladeira e despensa e elabore uma lista de tudo que você realmente está precisando. Utilize aplicativos para celular que irão lhe auxiliar para anotar as informações necessárias.

2. Evite ir ao supermercado quando estiver com fome
Ir às compras com fome pode ser uma grande armadilha, isto porque muitas vezes compramos com "os olhos" tentando nos satisfazer e assim acabamos levando produtos que não serão consumidos e que provavelmente serão desperdiçados. Para evitar este erro, a dica é antes de sair de casa beber um copo com água, chá ou até mesmo comer uma fruta como uma maça ou banana.

3. Verifique o prazo de validade dos produtos
Não é incomum passar por esta situação, ao chegar em casa e descobrir que o produto adquirido está vencido ou muito próximo de seu vencimento. O mercado e a indústria tem a obrigação de expor a data de vencimento daquilo que estão vendendo. Por isto, sempre observe a data de vencimento na embalagem dos produtos perecíveis.

Mas nem sempre confie nestas informações, principalmente para produtos lácteos após aberto. Antes do consumo, verifique o cheiro e em caso de qualquer desconfiança, descarte-o.

4. Promoções
Fique atento às promoções e as ofertas da semana de seu mercado favorito. Frutas e verduras a dica é comprar o equivalente para a semana evitando o esperdício.

5. Após a compra
Frutas, legumes e verduras precisam ser lavadas e secadas antes de irem para a geladeira, coloque-as em uma embalagem totalmente fechada para evitar a proliferação de bactérias.

6. Aproveite os alimentos
A internet pode ser uma forte aliada para você encontrar várias receitas de como reaproveitar os alimentos, como, por exemplo: o feijão que ficou do almoço, virar uma sopa, ou tutu na janta; o arroz para preparar deliciosos bolinhos; o pão do lanche para virar ótimas torradas, já as sobras de carnes podem ser desfiadas e adicionadas na preparação de um sanduíche, risoto e muito mais. Solte sua criatividade e saboreie novas receitas.

Fonte: Esta é uma dica kitchenmag.ru adaptada por nosso blog.


Sono e qualidade de vida

11 Mai 2017 17h16 - atualizado em 08/12/2017 14h27
Sono e qualidade de vida

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Você dorme quantas horas por noite? Será mesmo que uma boa noite de sono interfere com seu metabolismo? Pessoas que mantem o hábito de dormir no mínimo 6 horas por noite são raras. Vivemos em meio a tantas obrigações e responsabilidades que nos faltam tempo para cumprir com todas.

Um estudo de revisão mostrou o prejuízo entre a qualidade de vida, seja ganho de peso, aumento de estresse e doenças associadas e horas de sonos. Em poucas palavras, quanto menor o tempo de sono maior a relação grelina/leptina, gerando mais estimulo para aumento de apetite e ganho de peso.

Esse organograma simplifica o nosso entendimento.

E como podemos melhorar nosso sono?

1) Ao deitar desligue todo e qualquer aparelho que emita ondas como telefone, computador, luz ou televisão. As ondas ultrapassam a pálpebras de seus olhos e não permitem que seu sono seja reparador.

2) Evite tomar muita agua e chá diuréticos ao deitar.

3) Tome 100ml de chá calmantes como chá camomila, melissa ou mulungu. Sem açúcar de preferência.

4) Consuma abacate, aveia, banana e castanhas diariamente e principalmente após as 18h. Tais alimentos são precursores de serotonina e induzem um sono mais profundo.

Que tal uma soneca?

Referencias CRISPIM C.A. et al. Relação entre sono e obesidade: uma revisão de literatura. (Arq Bras Endocrinol Metab 2007;51/7:1041-1049)

 

Faz bem para o seu coração (parte 10)

28 Abr 2017 17h57 - atualizado em 28/04/2017 16h59
Faz bem para o seu coração (parte 10)

Romã

Romãs contém numerosos antioxidantes, incluindo polifenóis e antocianinas que ajudam a evitar o endurecimento das artérias. Um estudo de pacientes com doenças cardíacas descobriu que uma dose diária de suco de romã ao longo de três meses mostrou melhorias no fluxo sanguíneo para o coração.

Em última análise, porém, é importante ter variedade em sua dieta. Se você não gosta de romãs outra opção são as maçãs, que também contêm uma abundância de compostos benéficos ao coração.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 9)

28 Abr 2017 17h51 - atualizado em 28/04/2017 12h46
Faz bem para o seu coração (parte 9)

Sementes de linhaça

Sementes de linho e sementes de chia são ricos em ácidos graxos ômega-3. Essa é uma razão pela qual eles são bons para o seu coração. Outra razão é o seu elevado teor de fibras. Além disso, há diversas maneiras de apreciá-los, como moídos com outros alimentos saudáveis para o coração, como amoras secas e aveia ou mesmo misturado com leite de soja e frutas.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 8)

27 Abr 2017 17h43 - atualizado em 27/04/2017 17h55
Faz bem para o seu coração (parte 8)

Brócolis, espinafre e couve

Quando se trata de sua saúde, um dos grandes aliados são os vegetais. Estas folhas de coloração esverdeada podem dar um impulso extra para o seu coração, devido às elevadas quantidades de carotenoides, que agem como antioxidantes e libertam seu corpo de compostos potencialmente nocivos. 

Eles também são ricos em fibras e contêm toneladas de vitaminas e minerais. O couve também contém ácidos graxos ômega-3. Os chamados vegetais verdes são super alimentos que promovem a saúde.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 7)

26 Abr 2017 17h32 - atualizado em 26/04/2017 11h28
Faz bem para o seu coração (parte 7)

Leguminosas

Originárias das plantas, legumes como feijão, lentilhas e ervilhas são uma excelente fonte de proteína sem muita gordura insalubre. Estudos demonstram que as pessoas que comem legumes , pelo menos, quatro vezes por semana tem um risco 22% menor de doença cardíaca, em comparação com aqueles que consomem menos de uma vez por semana.

Os legumes ainda podem ajudar no controle de açúcar no sangue em pessoas com diabetes, que possuem como complicações da doenças, problemas cardíacos.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 6)

24 Abr 2017 17h17 - atualizado em 24/04/2017 17h09
Faz bem para o seu coração (parte 6)

Tomates

Assim como as batatas, os tomates são ricos em potássio saudável para o coração. Além disso, eles são uma boa fonte de licopeno antioxidante . O licopeno é um carotenoide que pode ajudar a se livrar do colesterol "ruim", manter os vasos sanguíneos abertos e diminuir o risco de ataque cardíaco.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 5)

12 Abr 2017 17h08 - atualizado em 12/04/2017 18h34
Faz bem para o seu coração (parte 5)

Soja

Produtos de soja, incluindo tofu e leite de soja, são uma boa maneira de adicionar proteína à sua dieta sem gorduras e colesterol insalubres. Produtos derivados ou que possuem a soja contêm altos níveis de gorduras poli-insaturadas (bom para a sua saúde), fibra, vitaminas e minerais.

Além do mais, a soja pode reduzir a pressão arterial em pessoas que possuem uma dieta rica em carboidratos refinados. E em comparação com leite ou outras proteínas, a proteína de soja pode realmente diminuir o LDL ou "mau" colesterol.



Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 4)

11 Abr 2017 16h43 - atualizado em 11/04/2017 17h39
Faz bem para o seu coração (parte 4)

Chocolate escuro

Esta muita gente vai gostar de saber....que tem vários estudos apresentando que o chocolate escuro beneficiar o seu coração, incluindo um em 2012 que constatou que o consumo diário de chocolate pode reduzir os ataques cardíacos não fatais e acidentes vasculares cerebrais em pessoas com alto risco para esses problemas.

Os resultados aplicados apenas ao chocolate escuro, ou seja, aquele composto de pelo menos 60-70% de cacau, que contém flavonoides chamados polifenóis, que podem ajudar a pressão arterial, coagulação e inflamação.
Por outro lado, infelizmente, o chocolate de leite e a maioria dos doces em barras não produzem o mesmo benefício quando o assunto é proteger o seu coração.


Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 3)

10 Abr 2017 16h34 - atualizado em 10/04/2017 16h29
Faz bem para o seu coração (parte 3)

Mirtilos

Não apenas mirtilos, mas morangos e outras bagas também. De acordo com um estudo recente , as mulheres com idade entre 25 a 42 que comeram mais de três porções de amoras e morangos por semana tiveram um risco 32% menor de ataque cardíaco, em comparação com aqueles que comeram menos.

Os autores do estudo atribuíram o benefícios aos compostos conhecidos como antocianinas, flavonoides (que são antioxidantes), que podem diminuir a pressão sanguínea e dilatar os vasos sanguíneos.



Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.


Faz bem para o seu coração (parte 2)

07 Abr 2017 16h24 - atualizado em 07/04/2017 17h26
Faz bem para o seu coração (parte 2)

Aveia

Nossa segunda publicação de dicas para a saúde de seu coração é rica em fibra solúvel, que contribui na redução do colesterol, por agir como uma esponja no trato digestivo absorvendo o colesterol sendo eliminado do corpo em vez de entrar na corrente sanguínea.

É recomendável evitar a aveia instantânea, que muitas vezes contém açúcar.





Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Faz bem para o seu coração (parte 1)

06 Abr 2017 16h12 - atualizado em 06/04/2017 18h30
Faz bem para o seu coração (parte 1)

Problemas relacionados ao coração, como o infarto agudo do miocárdio e a insuficiência cardíaca estão entre as principais causas de morte no Brasil, segundo dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde.

Todos sabemos que nossa qualidade está diretamente relacionada a nossos hábitos alimentares junto a prática de exercícios.

Pensando nisto, publicaremos a partir de hoje e nos próximos dias, dicas de alimentos que fazem bem ao coração.


Salmão

O salmão e outros peixes gordos tais como sardinhas e cavala são as estrelas dos alimentos saudáveis ao coração. Isso porque eles contêm grandes quantidades de ácidos graxos ômega-3, que reduzem o risco de arritmia (batimentos cardíacos irregulares), aterosclerose (acúmulo de placas nas artérias), além de diminuir os triglicérides. A recomendação é comer peixe e de preferência gordos, pelo menos, duas vezes por semana.

Fonte: Esta é uma dica www.health.com adaptada por nosso blog.

Quanto custa almoçar fora de casa na sua cidade ?

31 Mar 2017 10h27 - atualizado em 31/03/2017 16h03
Quanto custa almoçar fora de casa na sua cidade ?

Os brasileiros costumam pagar em média R$ 32,94 para almoçar fora de casa, segundo a Pesquisa Preço Médio da Refeição Assert 2017, realizada pelo Instituto Datafolha, a pedido da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador.

A pesquisa ouviu 4.574 estabelecimentos em 51 municípios e 23 capitais de todas regiões do país, entre os dias 11 e 28/11/2016.

Estes valores apresentados servem de referência para as convenções coletivas e empresas cadastradas no PAT na hora de determinar o valor mensal de seus benefícios juntamente com um outro levantamento realizado pelo Dieese - Pesquisa Nacional da Cesta Básica.

Os valores mínimos de calorias e de percentual protéico-calórico necessários para uma alimentação são fundamentais para determinar o valor que a empresa concede ao trabalhador para garantir que o crédito inserido no cartão seja suficiente para atender às exigências citadas pelo PAT.

Nós preparamos um resumo dos dois estudos para facilitar a sua análise. Nele, é possível ainda observar o valor médio de uma refeição pronta nas capitais pesquisadas. Para conferi-lo, basta clicar aqui.

* Divulgado agora em março/17, a Pesquisa Preço Médio da Refeição Assert pode ser acessada na sua íntegra clicando aqui.

De que se alimentam as minhas bactérias “boas”?

30 Mar 2017 14h53 - atualizado em 30/03/2017 16h49
De que se alimentam as minhas bactérias “boas”?

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Agora que você já se atentou à importância de um intestino saudável, vamos listar algumas dicas para mantê-lo seu amigo, ou seja, ter melhor qualidade de vida, seja perdendo, ganhando ou mantendo peso.

1) Evite alimentos de alto índice glicêmicos. Fuja do arroz branco, farinha branca e açúcar branco. Tais alimentos formam um banquete para algumas espécies de bactérias. As bactérias metanógenas, produtoras de metano e as produtoras de hidrogênio se interagem e elevam a absorção de açúcar, além de quebrar as fibras não digeríveis que normalmente não produzem glicose, elevando as chances de ganho de peso.

2) Consuma frutas com cascas, após uma boa higienização com solução hipoclorada por 5 minutos e vinagre. As cascas, como da maça, são fontes de pectina, fibra que nutre as bactérias boas e protege a barreira intestinal contra patógenos.

3) Aumente seu consumo de água. Para saber qual sua necessidade, multiplique seu peso por 25ml (se estiver com peso normal) ou por 30 a 35ml (se estiver com sobrepeso ou obesidade).

4) Diminua o consumo de alimentos de difícil digestão como carne vermelha.

5) Não consuma alimentos embutidos como presunto e apresuntados ou até mesmo o “queridinho” peito de peru. Nitrito, nitrato e glutamato são agentes conservadores adicionados para garantir que durem por mais tempo. E o que isso tem de mau? Esses agentes simplesmente matam as bactérias boas e nutrem as ruins.

Agora você já sabe como melhorar seu intestino então, mãos a obras.


Referência:

CARREIRO, Denise Madi; VASCONCELOS, Luana; AYOUD, Maria Elisabeth. Síndrome Fúngica. 1ª Ed. São Paulo. Editora Referência, 175p. 2009
POUTAHIDIS, Theofilos. Microbial Reprogramming Inhibits Western Diet-Associated Obesity. Publicado on-line 2013 Jul 10.
Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3707834/. Acessado em 26 de jul. 2016

KERCHER K.K.O, GARCIA M.C.R. CORRELAÇÃO DA DISBIOSE INTESTINAL E OBESIDADE: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.
Disponivel em https://www.publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/article/view/6553

Conheça a ferramenta virtual que lhe ajuda a montar um prato saudável

27 Mar 2017 14h46 - atualizado em 30/05/2017 17h40
Conheça a ferramenta virtual que lhe ajuda a montar um prato saudável

Nós aqui já mencionamos a iniciativa da Assert (Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador ) sobre o Programa Prato Legal, que tem entre seus objetivos compartilhar ideias que incentivem os restaurantes a fornecerem uma alimentação mais saudável e equilibrada.

A iniciativa também serve para que cada vez mais pessoas se conscientizem da importância e consequência que uma alimentação bem balanceada traz para seu dia a dia.

Uma das mais ferramentas mais legais disponibilizadas pelo site Prato Legal é a possibilidade de montar o seu próprio prato. Fácil de usar, é possível calcular automaticamente a quantidade de calorias, carboidratos, proteínas e fibras.

Inclua os alimentos de sua preferência de acordo com cada grupo e confira o resultado.


Para acessar, clique aqui > http://pratolegal.com.br/faca-seu-prato-legal/#
 

Intestino preso, um obstáculo para perda de peso

13 Mar 2017 14h49 - atualizado em 13/03/2017 15h04
Intestino preso, um obstáculo para perda de peso

Por Izabela Soares Campos - CRN 1- 6637

Você já esta cansado de ler matérias com dicas para perder peso, mas o que não te contaram é que seu intestino é uma peça fundamental nesse quebra cabeça. A célebre frase: “Somos o que comemos” foi cortada. A forma mais correta seria: “Somos o que comemos, digerimos e ABSORVEMOS”. O maior local de absorção se chama intestino. Ele é povoado por bilhares de microrganismos que comandam a absorção de nutrientes, produção de hormônios e neurotransmissores e defendem a mucosa intestinal.

Uma série de evidências cientificas concluem que a alteração (seja em número ou espécies) na microbiota (conjunto de bactérias e fungos que povoam, de forma harmoniosa, o intestino) alteram o equilíbrio da glicose, aumentam o depósito de gordura e os níveis de hormônios controladores de apetite.

Um estudo com ratos obesos e eutróficos (peso normal) transferiu a microbiota de ratos obesos e transplantou em ratos magros. E adivinhem o que aconteceu? Os ratos magros engordaram. Além da composição da microbiota, a inflamação no intestino (ou seja, doenças como Cronh, doença celíaca, alergias alimentares, etc) pode agravar o ganho de peso.

A dieta pode colaborar com o crescimento de bactérias boas (Bacteroides) ou bactérias ruins (Firmicutes) no intestino. Quanto mais alimentos “errados” você consumir menor será o crescimento das bactérias boas e em consequências mais gatilhos para o ganho de peso.

E quais alimentos são esses? Leia no próximo post.


Referência:

CARREIRO, Denise Madi; VASCONCELOS, Luana; AYOUD, Maria Elisabeth. Síndrome Fúngica. 1ª Ed. São Paulo. Editora Referência, 175p. 2009
POUTAHIDIS, Theofilos. Microbial Reprogramming Inhibits Western Diet-Associated Obesity. Publicado on-line 2013 Jul 10.
Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3707834/. Acessado em 26 de jul. 2016

KERCHER K.K.O, GARCIA M.C.R. CORRELAÇÃO DA DISBIOSE INTESTINAL E OBESIDADE: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.
Disponivel em https://www.publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/article/view/6553


Afinal, qual o melhor azeite?

07 Mar 2017 10h47 - atualizado em 07/03/2017 14h02
Afinal, qual o melhor azeite?

O azeite de oliva é um óleo vegetal rico em gorduras mono-insaturadas, que na quantidade certa são benéficas para a saúde e ajudam a proteger o sistema cardiovascular. Entretanto, há vários tipos de azeite.

As diferenças entre os tipos de azeites estão associadas a vários compostos presentes na azeitona, que por sua vez são resultados de diversos fatores, como variedade e maturação da azeitona no momento do processamento.

Outra característica importante é a acidez, que serve para classificar os tipos de azeite. Veja a classificação dos azeites de acordo com a acidez e indicação do uso abaixo:

Classificação Acidez Utilização
Extravirgem < 1,0% Saladas e molhos
Virgem Fino 1,5% Saladas e molhos
Semifino 3,0% Saladas e frituras
Refinado >3,0% Frituras de imersão
Puro <2,0% Frituras, assados e marinados
  
Agora que você já sabe qual azeite comprar em relação à acidez, passe para o próximo passo, qual sabor e aroma escolher.

A degustação do azeite é uma etapa importante quando o seu cliente tem elevado grau de exigência. A degustação compreende a percepção de aromas (frutados, por exemplo), a percepção de sabores (amargo e picante, por exemplo) e a percepção da cor, densidade e impureza. Como regra geral, o azeite deve combinar com o alimento por sua intensidade, não mascarando, mas realçando o sabor da preparação.

Para se ter uma melhor combinação do tipo de azeite com o tipo de prato, destacamos as melhores combinações abaixo:


 Preparação do prato
Uso culinário Finalização de pratos crus ou quentes
  Fritar ou cozinhar
 
Pratos crus
 
Pratos leves
 
Pratos com sabor mais acentuado
Tipos de pratos
 
Peixes, carnes e legumes Saladas Peixes cozidos, frangos, massas, legumes e molhos Pizza, paella, carnes, churrascos e risotos
Características do azeite Menos frutados Mais doces e suaves Frutados Mais intensos, amargos e picantes
Sabores e aroma 100% puro ou com sabor de alho Aromas de limão, gengibre, manjericão, alecrim Fruta madura, maçã verde, amêndoa e tomate  


Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e  Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).Site: http://pratolegal.com.br/blog/


DICAS PARA UMA BOA FOLIA

22 Fev 2017 15h25 - atualizado em 23/02/2017 09h59
DICAS PARA UMA BOA FOLIA

E a data tão esperada chegou... Muito gingado no pé e energia para seguir atrás da banda.
Para não “descarregar a bataria” logo no primeiro dia, fique atento a algumas dicas:

1) Opte por fazer uma refeição leve antes de sair para dançar. Fuja de sanduiches, pizzas, frituras ou se esconder atrás da velha desculpinha: “Não deu tempo de comer.” Prefira lanches como um omelete com vegetais, ou tapioca com frango ou mesmo um belo cuscuz (com 2col.sopa de linhaça ou chia) e frango. Ate mesmo um suco energético é uma boa pedida.

2) Não se esqueça de beber muita água. Tente sempre intercalar água com bebida alcoólica. Dessa forma você evita uma sobrecarga do seu rim e do seu amigo fígado.

3) Essa dica complementa a anterior. Afim de evitar hipoglicemias (baixa de açúcar no sangue) ou hipotensão (pressão baixa) consumir alguns “lanchinhos” como 2 castanhas ou 4 amêndoas em intervalos de 3 horas de festa vai garantir seu rendimento no máximo.

4) Dormir no mínimo 6 horas seja de dia ou de noite após a “noitada” de festa auxilia seu metabolismo a não sofrer muito.

5) Se for ingerir bebidas alcoólicas, evite bebidas com cafeína, pois associadas ao álcool sobrecarregam seu coração podendo causar taquicardias (coração batendo forte), falta de ar e até mesmo desmaios.

6) Aumente o consumo de alimentos antioxidantes como laranja, abobora, acerola, cenoura, beterraba, berinjela, couve, brócolis, castanhas, abacate, kiwi e jamelão (melhor antioxidante que o Goji Berry).

7) E não esqueça que uma boa folia deve ser acompanhada de consciência: álcool e direção não combinam e sexo sempre com preservativo.
Em clima de festa, vai uma dica de suco pré folia para você:

  • ½ beterraba sem casca
  • 1 xic. de melancia (com a casca e a parte branca)
  • 100ml de suco de laranja (com os gominhos)
  • 1colsopa de linhaça ou chia
  • 2 castanhas do Pará
  • Gelo

Bater no liquidificador, não coar e tomar 1hora antes da folia.
Bom carnaval.

Diga não ao excesso de sal

05 Dez 2016 17h21 - atualizado em 23/02/2017 14h01
Diga não ao excesso de sal

Considerando que o brasileiro consome mais que o dobro de sal em relação ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde, e que mais da metade da população faz alimentação fora de casa, cabe aos estabelecimentos comerciais diminuírem a quantidade de sal durante o preparo dos alimentos.

COMO  DIMINUIR O CONSUMO DE SAL

O primeiro passo é substituir o sal por temperos naturais, como orégano, salsinha, cebolinha, louro, manjericão, alho, alho-poró, cebola e pimenta.

A redução do teor de sal deve ser gradual, para que os seus clientes aprendam aos poucos a perceber o real sabor dos alimentos. Isso pode vir acompanhado de informativos no seu estabelecimento, falando sobre a importância da redução do sal para a saúde, como por exemplo, na redução da pressão arterial e do risco de doenças do coração.

Além disso, devemos prestar atenção, pois o sódio, principal componente do sal, também está presente em diversos alimentos industrializados, inclusive naqueles com sabor doce.

 DICAS PRÁTICAS PARA A REDUÇÃO DO SAL 

Para que tudo isso seja colocado em prática, que tal oferecer um treinamento para os seus cozinheiros sobre este assunto? Abaixo listamos algumas dicas importantes:

• Escolha produtos com baixo teor de sódio na hora das compras;

• Reduza o sal aos poucos na preparação, assim você não vai notar de cara a diferença. Depois de algum tempo, a alimentação anterior parecerá salgada demais;

• Experimente incluir ervas, temperos naturais, alho e pimenta em vez de sal;

• Prove a comida antes de acrescentar o sal;

• Se for incluir algum ingrediente rico em sódio, reduza o sal na próxima preparação;

• Use alimentos naturais sempre que for possível, ao invés dos industrializados.



 
Esta é uma dica do Blog do Prato Legal, uma iniciativa promovida pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), que tem como principal objetivo orientar os estabelecimentos credenciados para que ofereçam aos seus clientes uma alimentação saudável, equilibrada, saborosa e que atenda às exigências estabelecidas pelo Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). Site: http://pratolegal.com.br/blog/